Primeiras impressões de Bogotá e passeio ao Monserrate

Hoje foi oficialmente meu primeiro dia em Bogotá, Colômbia e tô curtindo demais esse lugar. Claro, sei que com o tempo vou conhecendo mais a cidade e ir além dos pontos turísticos e essas impressões mudarão, mas por enquanto vou dizer um pouco de hoje.

Primeiro role em La Candelaria

Primeiro role em La Candelaria

Eu to hospedado num hostel muuuito bacana, tipo, é bem simples, mas além de ser barato e muito bem localizado, a galera que vem pra cá são legais e o dono, seu Geraldo e sua família são extremamente atenciosos e prestativos, isso sem contar a cadela pastor-alemão que só de encostar nela já começa a rolar no chão e brincar com a gente, um amor. Recomendo muito aqui, o Hostel Casa Bellavista, eu to  num quarto com 4 camas e to pagando 22.000 COP (aproximadamente 27 reais, dependendo da cotação e de onde troca o dinheiro). Em um dia já conheci gente de tudo quanto é lugar aqui, muitos franceses, dois alemães, uma sueca, um dinamarquês, uma argentina, uma indígena, duas norueguesas, um porto-riquenho e uma colombiana.

Casa Bellavista Hostel

Casa Bellavista Hostel

O bairro onde estou chama-se La Candelaria, é conhecida como o centro histórico de Bogotá, é uma região muito agitada com muitos restaurantes, teatros, inúmeros museus, onde aquela galera hipponga fica vendendo seus artesanatos (hoje vi um maluco vendendo papéis com poesias que ele mesmo tinha escrito), gente de boa tocando violão e tomando vinho ou cerveja, enfim… É um bairro muito legal onde acontecem muitas coisas o dia todo, e por sorte o hostel que tô fica bem ao lado de uma das principais praças do bairro, onde tudo acontece.

O povo por aqui gosta muito dos brasileiros, em todos lugares que vou ou quando peço informações na rua (inclusive para policiais) as pessoas são sempre atenciosas e tentam entender meu portunhol sem pé nem cabeça. Outra coisa que percebi aqui em Bogotá é que os Colombianos não são tão americanizados quanto nós, aqui eles preservam muito mais suas raízes e cultura, achei isso bem legal, dou valor demais pra essas coisas. Btw, praticamente todo mundo aqui pensa que sou alemão, pra muita gente tenho que explicar que não sou e até mesmo falar apenas em português para eles acreditarem. LOL

Hoje (16/03/14) de manhã acordei bem cedo, tomei meu desayuno bem caprichado pela esposa do Geraldo, com pães caseiro, geleia de blueberry, ovos mexidos e chocolate beeem quente (tava um frio daqueles), depois segui junto com o Pedro para o Cerro de Monserrate, Pedro é um cara bacana que conheci ainda no aeroporto de Guarulhos e também está em Bogotá por alguns dias, então estamos fazendo alguns passeios juntos (isso é bom, pois além da companhia e segurança que tem em duas pessoas juntas, não preciso ficar tirando selfies hehehe).

Pé do Cerro Monserrate

Pé do Cerro de Monserrate

No caminho para o Monserrate encontramos com uma Lhama amarrada num poste comendo grama.

Lhama safada com cara de esnobe

Lhama safada com cara de esnobe

E então chegamos na bilheteria do Monserrate, os preços variam dependendo de que dia da semana, de sábado é o dia mais caro (justo no dia que escolhemos ir, shit), pagamos 15.400 COP para os bilhetes de ida e volta, também tem a opção de ir e voltar a pé, algo que eu não recomendaria nem para meu pior inimigo, o negócio é quase 90 graus de inclinação hahaha, ou também pode pagar 7.700 COP apenas pela subida e descer caminhando.

Frente da bilheteria e embarque para o bonde e furnicular do Monserrate

Frente da bilheteria e embarque para o furnicular e teleférico do Monserrate

E finalmente chegamos ao topo da serra.

Uma das muitas estátuas de Jesus

Uma das muitas estátuas de Jesus e eu com a cara da derrota de cansaço

De cima da serra pude ver o quão grande é Bogotá e também da pra ver claramente o contraste socioeconômico, onde em poucos espaços temos edifícios e belas casas e em todo o restante estão os bairros mais pobres e favelas.

Bogotá vista de cima do Monserrate

Bogotá vista de cima do Monserrate

Apesar da quantidade de gente, esse lugar trás uma paz incrível!

Santuário de Monserrate

Santuário de Monserrate

Escoteiros que encontrei em Monserrate

Escoteiros que encontrei em Monserrate

Chegou um momento que eu já me sentia um pouco fraco, com dor de cabeça e parecia que a cada 10 passos eu tinha corrido uma maratona, então me toquei que estava a 3600 metros de altura e aquele era um pequeno mal-estar da altitude. Fomos então até a feirinha de artesanatos e gastronômica e encontrei várias barraquinhas vendendo chá da folha de coca (sim a mesma da cocaína, porém com efeitos diferentes), esse chá é realmente milagroso, ele tira a dor de cabeça, o cansaço passa, da uma nova disposição e tira a fome.

Té de Coca

Té de Coca

Me senti bem melhor depois do chá e fomos comprar alguns souvenirs e procurar um lugar pra comer.

Encontramos um lugar onde servia comidas por preços ridículos de baratos, eu pedi um prato que vinha arroz branco, frijole (é um feijão um pouco maior que o nosso), bife, plátano frito e chorizo. Junto também veio uma sopa de batata e milho com caldo de frango. Tudo isso custou 5.000 COP, algo em torno de 6 reais. Barato demais!

Almoço barato e muito gostoso

Almoço barato e muito gostoso

Barraca com comidas típicas de Bogotá

Barraca com comidas típicas de Bogotá

Depois de estar com barriga cheia e tendo visitado tudo que tem pra se ver no Monserrate, fomos embora de teleférico.

Descendo o Monserrate de teleférico

Descendo o Monserrate de teleférico

Voltei para o hostel descansar, porém o que eu temia aconteceu… Esse monte de mudanças de clima, altitude, etc, me pegou em cheio com uma gripe filha da mãe, mal cheguei e já não tinha mais pique nem pra levantar da cama e ir buscar água pra tomar uns remédios. Com isso ferrou meus planos para na noite ir na Zona Rosa conhecer os bares e restaurantes que esse bairro abriga, é como se fosse a Vila Madalena em São Paulo, um lugar boêmio. Mas não deixarei de ir, claro que não hoje, mas durante a semana irei separar uma noite para conhecer por lá.

E esse foi meu primeiro dia em Bogotá, espero que vocês estejam gostando dos relatos que vou contando por aqui. Críticas e sugestões são sempre bem vindas!

12 ComentáriosComente

  • Nem tinha vontade de conhecer a Colombia, mas acompanhando tua jornada, to ansioso.

    Sera que tu teria como ver algo musical, dizem que Shakira e Calle 13 sao bem ativos, com diversos projetos sociais. Acho que devr ser bem bacana.

  • Oi Daniel,
    Estou indo para Bogotá a semana que vem.
    Onde você trocou seu dinheiro com uma boa cotação?
    E neste Hostel que você ficou os quartos são todos mistos?
    Parabéns pelo BLOG, ajudou muito!

    • Oi Márcia, que bom que os posts tão ajudando de alguma forma.

      Sobre a conversão eu levei só uma pequena quantia de reais mesmo para os dois primeiros dias, troquei a grana numa casa de cambio na Carrera 7 na Candelária. A conversão foi péssima pra falar a verdade, nossa moeda tá muito desvalorizada, troquei R$ 1 por COP 780. Com dólar compensa mais, pq tá USD 1 por COP 2.000. E foge do cambio no aeroporto, lá tá mais desvalorizado ainda, R$1 pra COP 760. Compensa trocar só a grana pro taxi e uma eventual emergência.

      Eu tenho usado apenas cartões de viagem pré-pago, no caso o Visa (VTM) e o Amex (Global Travel). Mesmo perdendo bastante entre conversões, impostos e taxas, eu ainda assim prefiro pela praticidade e segurança de não precisar andar com grandes quantidades no bolso/mochila.

      Os quartos nesse hostel que fiquei são mistos sim, mas não tive nenhum problema e não conheci ninguém que tenha se importado também, sempre aparecia uma galera lá que respeitava a todos. Indico demais esse hostel, principalmente pela localização e pelo staff.

      Qualquer dúvida só gritar 😉

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.