Tag - graça

Qual sua moeda?

Essa manhã assim que eu acordei logo tive uma ideia muito boa e pensando um pouco vi que não seria muito difícil colocá-la em prática. O que eu queria fazer precisava com certeza estar alinhado a vontade de Deus, afinal isso seria pra Ele e então eu me coloquei a orar sobre isso.

Assim que comecei a orar, instantaneamente veio um sentimento de “putz eu não tenho feito coisas muito legais e acho que antes de mais nada preciso pedir perdão”, e então pedi perdão a Deus por algumas coisas, mas eu não estava realmente arrependido de nada daquilo, apenas pedia como se fosse um tipo de ritual que eu tinha que fazer antes de pedir algo pra o Todo-Poderoso. Me senti um lixo!

As vezes a gente entra numa religiosidade (ou até mesmo falta disso) e buscamos algum jeito de poder chegar a Deus, nós pensamos em algo que queremos e o que podemos dar a Ele. É como se tivesse uma máquina de refrigerante, nós adicionamos o valor das moedas, escolhemos nosso sabor preferido e a latinha cai magicamente e então desfrutamos.

Qual sua moeda de troca? O que você dá (ou pelo menos tenta dar) para Deus em troca daquilo que você quer?

Nós não precisamos mais sacrificar animais num templo, não precisamos fazer rezas repetidas, dizimar altos valores na igreja esperando algo em troca, dizer palavras a Deus como se fosse um ritual (assim como eu fiz), ajudar a velhinha atravessar a rua, nem nada disso para chegar a Deus.

Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu.
Romanos 12:1-3

Nosso Deus é um Deus pessoal, Ele realmente se importa com a gente e está sempre presente em tudo que fazemos. Quando nós oramos, não é como se Deus fosse um gênio da lâmpada que realiza nossos desejos e nós precisamos fazer algumas coisas para Ele, o que precisamos é como Paulo diz: nos oferecer como sacrifício vivo, santo e agradável, na carta aos Efésios, aos Romanos e em Hebreus diz que precisamos de fé, em Lucas Jesus diz que precisamos amar a Deus acima de todas as coisas e negar a nós mesmo e assim por diante.

Pare de barganhar com Deus!

Nós não podemos “manipular” Deus, Ele já sabe de todas as coisas, do antes, do agora e do depois, Ele conhece todos os desejos e intentos do nosso coração. Ele não precisa de nós, nós sim precisamos dEle. A oração não transforma Deus, ela transforma a nós mesmos.

A oração é uma conversa que temos com Deus assim como temos (ou deveríamos ter) com nosso pai/mãe. É onde expomos nossas alegrias e tristezas, conflitos internos, desejos, pedimos perdão pelos erros, agradecemos por tudo que Ele nos proporciona na vida, damos honras e glórias a Cristo.

 

 

 

O outro lado da Parábola do Filho Pródigo

Como é de conhecimento de muitos, a Parábola do Filho Pródigo (Lucas 15:11-32) conta a história de um rapaz que decidiu levar a vida como bem entendia, então pediu sua parte da herança para seu pai e caiu no mundão atrás de diversão, prazeres e sabe-se Deus mais o quê. Um belo dia ele percebe que não tinha mais nada e estava passando por necessidades, chegando até mesmo a desejar comer a comida que os porcos se alimentavam e então num despertar retorna para a casa de seu velho, arrependido de seus atos.

Na parábola vemos que o pai feliz e compadecido com o retorno, manda matar um boi, trazer roupas boas, vinho (na história não tinha, mas creio que deviam ter tomado), anel e dar uma festança. Seu outro filho fica de mimimi reclamando para o querido papai que ele sempre esteve ao lado dele e nunca deu nada, já o filho que abandonou tudo e foi pra putaria, volta e ganha tudo do bom e do melhor.

O pai então diz que o filho sempre esteve ao seu lado e tudo que lhe pertence, também é dele, ou seja, se ele quisesse ter dado uma festa pros amigos, ele poderia ter dado, se ele quisesse um anel ou uma camiseta da Lacoste, ele teria, bastava pedir.

Dada a introdução com toda a história, vamos aos fatos para nós hoje em dia:

Quantas vezes ao invés de estarmos na pele do filho pródigo, não estamos na verdade na do irmão ingrato? Claro que muitas vezes nós caímos e somos deixados à mercê de nossos próprios desejos e paixões para que uma hora haja arrependimento, mas eu mesmo me pego com frequência reclamando ou não dando valor daquilo que Deus já me deu e disponibiliza pra mim a qualquer momento.

Quantas vezes nós deixamos de pedir algo pra Deus por falta de fé, preguiça, medo ou descaso? Em Mateus 7 está escrito que se pedirmos, receberemos, obviamente que o Pai não nos dará aquilo que não seja de Sua vontade, se nem mesmo o “cálice” ele afastou de Cristo, seu Filho unigênito, quanto mais para algo conosco, porém Ele diz para pedirmos, devemos sim ter discernimento naquilo que iremos pedir, mas devemos pedir.

No verso 29 da parábola, vemos que o irmão era um filho obediente, cumpria as ordens, seguia as Leis, jovem trabalhador…

Quantas vezes nós estamos vivos (ao contrário do filho pródigo no verso 32), somos obedientes, educados, seguimos as Leis, temos uma boa teologia e tudo mais, porém não nos satisfazemos com a melhor coisa que podemos ter: O Deus vivo em nós, nos abençoando e nos amando o tempo todo. Vivemos de maneira fria, sem nos relacionar e prestar honras e glórias a Deus, sabendo que temos seu Reino presente em nossas vidas.

Que Deus nos ajude a não sermos o irmão do filho pródigo, mas sim filhos fiéis e agradecidos por tudo aquilo que o Senhor já tem nos dado.

Sola Gratia!

Lutar para chegar ao fim de mais um dia

Muito do que Deus faz em nossas vidas é um grande mistério, muitas vezes não cabe a nós sabermos o porque passamos por determinadas situações, nos resta apenas aceitar a grandeza de uma pequena frase dita para Paulo: A Minha graça te basta.
Esse fim de semana eu fui visitar meu vô no hospital do coração e no mesmo quarto tem um homem que tem uns 40 anos com doença de Chagas, seu coração está dilatado, os médicos deram no máximo 3 meses de vida. Logo agora que seu filho está casando, sua nora está grávida, ele não poderá ver a cara de seu neto. Ele acabou de reformar sua casa para deixar o mínimo de conforto para seu filho. Leia Mais