Uma releitura de “Os Cinco Estágios do Luto”

Metanoia - Uma nova visão

Antes de começar, gostaria de avisar que se você chegou a esse texto buscando algo sobre luto, morte ou perdas, você está no lugar errado. Esse será um post sobre a não-aceitação do sistema em que vivemos e viagens, alias, o período que precede uma looonga viagem.

Você já ouviu falar do Modelo de Kübler-Ross, também popularmente conhecido como “Os cinco estágios do luto”?

Esse modelo foi criado por Elisabeth Kübler-Ross – de onde vem o nome -, no qual em seu livro ela fala de alguns estágios que as pessoas passam em determinados momentos de sua vida, como o luto, doenças, divórcios e várias outras situações. No geral, esses estágios remetem à algo negativo, sempre é sobre problemas e desgraças.

Os Cinco Estágios do Luto são:

  1. Negação
  2. Raiva
  3. Negociação (ou barganha)
  4. Depressão
  5. Aceitação

Eu estava lendo sobre eles e do nada veio algo na minha cabeça que não tem nada a ver com a ideia do Modelo de Kübler-Ross. Isso se encaixa perfeitamente para ilustrar aquele período que antecede um viagem ligada ao desgosto de vivermos presos nesse Sistema opressor que conhecemos como Capitalismo.

Rejeição e Mudança

Sempre antes de alguém “se jogar pro mundo” e/ou quebrar os laços com o Sistema, a cabeça está um caos sem tamanho, os pensamentos e ideias estão borbulhando a ponto de explodir. Esses pensamentos formam um conjunto completamente louco: Desejo, raiva, medo, ambição, esperança, ansiedade, heroísmo, pequenez e outras centenas de sentimentos que juntos personificam uma mente inconformada e ansiosa por mudanças e transformações não apenas em seu próprio ser (mas começando por ele), mas também em todo o mundo.

Mudança de Vida

Fazendo uma analogia com a metanoia (mudança de mente), esses estágios vem após um “click” que temos dentro da gente que não possui muita explicação do porque aconteceu, simplesmente aconteceu. Essa palavra (metanoia) é amplamente utilizada no meio religioso/espiritual como explicação para a transformação que ocorre com um não-crente fazendo-o crer em algo Divino e Superior, mas gosto muito da definição que o psiquiatra Carl G. Jung faz, dizendo que a metanoia é uma forma de auto-cura de nossa psique. Creio que não haveria melhor comparação entre alguém que vive no doente Sistema e necessita de uma cura para se libertar, na qual ocorre de dentro para fora e não o inverso.

O Modelo de Kübler-Ross Positivo Otimista

Tentarei ser breve na releitura de cada um dos “Cinco estágios do luto”, pois eles são basicamente que auto-dedutivos.

1) Negação

Inicialmente, imediatamente após a metanoia, nossa primeira atitude é negar tudo que estamos pensando em mudar, afinal isso é loucura ao senso comum.

Passamos a vida sendo influenciados e ouvindo que para sermos felizes nós precisamos praticamente seguir a mesma cartilha que todos seguem, inclusive o pai do seu pai o educou assim: Nasce, cresce, frequenta a escola sempre buscando as melhores notas, se forma em alguma universidade, começa a trabalhar, casa, tem filhos, luta desesperadamente por promoções em seu emprego para ganhar mais dinheiro e dar mais condições para seus filhos poderem crescer, estudar, tirar boas notas, se formar… E assim o ciclo segue de forma cega e linear.

Como fazer para quebrar esse ciclo e levar uma vida que poucos entenderiam o motivo de tanta loucura e rebeldia? Não posso fazer isso. Não, não e não!

2) Raiva

Mesmo negando isso você fica muito puto da vida, pois quer jogar tudo pro alto e sair pelo mundo vivendo de uma maneira quase que utópica. E parece que as condições nunca estão propícias a isso, sempre tem alguma coisa que te impede. No geral as principais delas são: Dinheiro, relacionamento e aceitação social.

3) Negociação

Você tenta encontrar caminhos para conciliar seu desejo por mudança, vai tentar arrumar umas férias prolongadas, pedir um empréstimo no banco, pedir um tempo para a pessoa com quem se relaciona, etc. As desculpas que surgem em meio a negociações são praticamente infinitas.

4) Depressão

Então você percebe que nada do que pensou negociar vai resolver, só vão existir duas escolhas: ou vai, ou fica. Que momento difícil!

Se você decidir ir, vai precisar modificar muito a maneira de pensar e se adaptar a isso para poder viver nessa sua nova forma de enxergar o mundo.

Se você decidir ficar vai ser pior ainda! Vai acabar triste e decepcionado por não ter coragem o suficiente de tomar a atitude certa e sabe que o desejo de se jogar no mundo não vai passar, no máximo vai ficar incubado e matutando em sua cabeça pra sempre. Isso nunca vai passar, afinal agora você tem o conhecimento do outro lado da vida que ninguém nunca te contou e sabe que esse outro lado é o certo.

Você será capaz de viver uma vida lutando contra aquilo que realmente acredita?

5) Aceitação

Então depois de muito pensar e sofrer lutando contra o que acredita, você decide ir! Agora vem a parte de abraçar de vez a ideia, se livrar dos preconceitos, deixar o medo de lado, dar de ombros para as rejeições (sim, elas acontecerão e muito) e começar os preparativos (mental, social e material, mas esse último é somente uma forma de se organizar) para se jogar no mundo e deixar a Vida te levar.

Difícil, porém necessário

Se jogue no mundoAgora tomando emprestado um pouco da ideia original do Modelo de Kübler-Ross, o luto, sabemos que não é fácil lidar com perdas, todas elas nos ferem levando uma parte de nós a cada vez que acontece e com uma mudança tão radical de mentalidade/vida não seria diferente.

Isso já aconteceu comigo e conheço dezenas de histórias de pessoas que passaram por isso. Em nenhum caso foi fácil, em todos houveram perdas, rejeições, tribulações em relacionamentos inter-pessoais e diversos outros problemas que cada um carrega ou carregou consigo após passar pelos Cinco Estágios Pós-Metanoia.

Se isso estiver acontecendo com você exatamente agora, não tenha medo, rejeite os fatos exteriores e ouça um pouco mais daquilo que está gritando dentro de você. O medo estará presente, isso é indiscutível, mas precisamos ser fortes para combate-lo e caminhar para uma vida em plenitude, sem compactuar com nenhum tipo de Sistema opressor que rouba da gente aquilo que realmente somos, roubando nossos amores, prazeres, esperança e por fim nossa identidade.

Extra

Tem uma música do B Negão chamada Nova Visão, onde ele fala bem sobre mudanças, principalmente as pessoais. De o play e se quiser acompanhar a letra da música entra aqui: http://letras.mus.br/bnegao/132995/

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.